Nossa história

O Carioca Rugby F.C. surgiu como muitos outros times no Rio de Janeiro, uma reunião de amigos que tinham algo em comum e desejavam formar um clube. Quando começamos eram poucos atletas, que ao passar do tempo, chamaram amigos e outras pessoas que poderiam treinar e aprender como trabalhar em equipe. Os treinos eram na Quinta Boa Vista, em São Cristóvão, depois migraram para os gramados do MAM, na Glória, e mais e mais jogadores começaram a engrossar nossas fileiras.

Em 14 de dezembro de 2012 foi feita a primeira assembléia do clube e o Carioca Rugby começou a deixar de ser apenas um time para virar um clube com diretoria eleita e presidente.

“Se tem dois jogadores, tem treino!”

Nosso escudo do Carioca Rugby F.C. mostra alguns símbolos importantes da identidade do clube:

A Cruz de Santo André, símbolo da bandeira da cidade do Rio de Janeiro;
A bola de rugby, símbolo do esporte;
Os Arcos da Lapa, fazendo referência ao bairro boêmio carioca onde foram os primeiros terceiros tempos do time;
A Chave de Braço, representando a força e união de diferentes culturas e etnias no rugby;
O Jaguar, o mascote da equipe.

 

O presidente Paulo Cesar Gonçalves cumpriu seu mandato por pouco tempo. Foi preciso se ausentar do clube por problemas pessoais deixando para Jonathan da Silva Devoto Pinto, chamado carinhosamente pelos amigos de Poste, assumisse as funções administrativas do cargo, o que não esmaeceu o espírito da equipe nem deixou o Carioca Rugby interromper suas atividades nem as partidas que veio a disputar como clube. Também faziam parte desta diretoria Diego Ximenes, Ian Knox e Bruno Mira Toledo como treinador. A equipe debutou Queimados Fest, torneio de Seven a Side em 2012, onde foi campeão sobre o Maxambomba com placar de 35 x 0. No torneio Pardal, organizado pela UFF ficou em terceiro lugar, enfrentando Niterói, UFF, Engenharia UFF e Medicina UFF.

Participamos pela primeira vez do Rio Beach Rugby em 2013. Foi uma ótima oportunidade para estruturar melhor nossa equipe para os dias que seguiriam com dois amistosos XV a side contra o UFES e o Vitória – então vice campeão da série B, que havia perdido apenas pra Cabo Frio no Espírito Santo. Foram duas partidas bem duras onde em 6×3 e 9×3 respectivamente a favor dos nossos adversários que venceram em penais, sem converter nenhum try no nosso campo. Estes jogos foram bem emblemáticos para nossa equipe, porque nos deu confiança de ingressar na série C, onde algum tempo depois fomos vice-campeões em 2013. Um detalhe importante, Carioca Rugby entrou na disputa do Campeonato Fluminense Série C depois dela ter começado. Dos sete jogos disputados, perdemos três.

Ainda em 2013 disputamos amistoso contra um combinado dos times do Tamoios, Niterói e Carioca, onde vencemos por 21×7. Dessa partida acabamos absorvendo alguns jogadores que deram muito mais que o sangue pela equipe. Menção mais do que justa ao jogador Habana que deu seus ossos pelo clube.

Já em 2014 fomos vice campeões da Série B, perdendo o título para o Friburgo Rugby na última rodada por 10×0. O fato de manter a invencibilidade durante toda competição demonstra muito mais nossa garra que a qualidade competitiva que a equipe tinha. No fim desse período Damon Freeman foi convidado para fazer parte do clube e ajudar ainda mais nossa equipe nos treinos e na parte técnica.

Na edição do Rio Beach Rugby de 2015 conquistando o 4º lugar perdendo a semi-final pros donos da casa, o nossos amigos do Rio Rugby. Uma nova diretoria foi eleita no começo desse ano e elegemos Ian Knox como presidente. Um grupo muito mais forte manteve o time unido e firme nos propósitos de formar um clube. Disputamos a série B com muita dificuldade e acabamos em último lugar no quadro onde haviam Maxambomba, Vila Real, Itaipuaçu, Rio Rugby B, Guanabara B e Cabo Frio que foi campeão naquele ano. Mesmo assim continuamos nossos trabalhos abrindo mais espaço para novos jogadores ingressarem na equipe e começamos a investir na formação da nossa equipe feminina.

Mas 2015 ainda tinha mais uma grande provação para o clube. Em novembro faleceu um dos nossos fundadores, Josse Fernandez. Aos 36 anos de idade, nossos argentino deixava a camisa 7, e junto com ele a alegria e o apoio que nunca deixou faltar dentro e fora de campo. No Rugby Josse fazia questão de motivar seus companheiros de time. Foi responsável por trazer muitos dos atletas que formaram o clube originalmente e também novos atletas e amigos. Era quem mais falava dentro e fora de campo, buscava sempre a vitória, não somente no placar, mas na atitude de cada um, fazendo todos acreditarem que poderiam ir mais longe, sempre contando com seu ombro amigo e nas celebres palavras: “Tô contigo irmão”. Parte da alma do time se foi com ele mas justamente porque em vida nunca nos abandonou, o clube seguiu em frente para honrar sua memória e os princípios da sua fundação.

 

No último ano, 2016, mais outros capítulos foram escritos com mais amistosos, outro Campeonato Fluminense bem disputado contra UFF, União Serrana e Maxambomba. O clube passou a ser mais ativo fora de campo, participando de campanhas importantes para o bem da cidade e outras ações que só aumentaram nossas bases e determinação.

Hoje somos um clube muito mais unido, investindo nas nossas equipes masculinas de XV e Seven a Side, feminino e recentemente a formação da equipe juvenil, um projeto do qual muito nos orgulhamos e ainda vai dar o que falar. Ainda existe muito trabalho pela frente. Nosso atual presidente, Thiago Monte, e a diretoria do clube estão empenhados em não só trazer resultados, mas crescer ainda mais o esporte no nossos estado.

Esta é nossa história, mas também um convite a você, homem, mulher, jovem, brasileiro, estrangeiro, alto, baixo, gordo, magra, forte, jogadora, amante do esporte e todo mundo que quiser praticar uma modalidade olímpica, venha treinar conosco, participar das nossas atividades, assistir as partidas não só da nossa equipe mas de todos os clubes no Rio de Janeiro e engrossar ainda mais nossas fileiras mostrando que tem muito rugby aqui. Afinal de contas…

#SomosCariocas

Carioca Rugby F.C.
Abril, 2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *